domingo, 4 de novembro de 2012

Resenha - Retrato do Meu Coração - Patrícia Cabot


Já faz alguns dias que terminei a leitura de Retrato do Meu Coração, mas venho procurando tempo e palavras para fazer essa resenha.

Primeiramente, gostaria de dizer que adoro os trabalhos da Meg Cabot que utiliza seu pseudônimo de Patricia Cabot para escrever para o público adulto. Acompanho a um tempo essa linha que ela a muito tempo abrangeu e me tornei verdadeiramente viciada por sua obra e criação. 

Retrato do Meu Coração é um romance histórico perversamente engraçado, sexy, e adoravelmente sarcástico. É um híbrido, curiosamente, de uma comédia excêntrica e de humor negro. Através da escrita espirituosa, da autora Patricia Cabot fez-se a criação de um herói egoísta e imoral, mas amável desde o início.


Título : Retratos do Meu Coração
Título Original: Portrait of my Heart
Autor : Patrícia Cabot
Editora : Galera Record
Páginas: 378
Classificação: 

        No passado, a desengonçada Maggie Herbert vivia às turras com os meninos, entre os quais o futuro duque de Rawlings, mas tudo se resumia a provocações e brigas. 

   Agora adultos, eles se reencontram. Porém tudo parece conspirar contra a paixão recém-descoberta. Será que os jovens conseguirão vencer preconceitos - dos outros e os próprios - em nome do amor? 



Tudo começa com Jeremy, duque de Rawlings retornando a sua casa após ser expulso da faculdade de Oxford, a terceira que seu Tio conseguiu para ele estudar. O motivo? Ele matou um homem em um duelo. O rapaz reivindicava que Jerry assumisse a responsabilidade da honra manchada de sua irmã. Mas é claro que para Jerry, a moça não tinha honra a muito tempo. Sem se incomodar ou sentir remorso com o ocorrido, ele retorna para casa e sofre a irá de seus tios (cuja história é contada em A Rosa do Inverno, um livro que eu mal posso esperar para ler) que estão irritados com a sua mais recente façanha .

Maggie sempre foi alta. Muito mais alta em comparação as meninas de sua idade. Ela e Jerry se conhecem desde de criança, e apesar de ser mais velho, ela sempre foi mais alta do que ele, e sempre soube como aproveitar dessa diferença para bater no menino mimado e mandão, e isso se tornou o seu  hobby preferido, isso, até ela conhecer a arte da pintura. Com 17 anos, Maggie é uma talentosa pintora. Sonha em ir para uma acadêmia francesa de pintura. Sua família não aprova suas tendência progressista. Eles não entendem por que ela não é igual a sua irmã mais velha Anna que coloca acima de tudo o casamento e os filhos. 

Quando Maggie descobre que Jerry está de volta, ela decide pregar uma peça nele. Lembrando das brincadeiras que fazia com o rapaz quando eram crianças, ela sobe em uma árvore decidida a derrubar Jerry de seu cavalo quando ele passasse. Jerry está cansado de mulheres correndo atrás dele em virtude de seu título. Ser o duque de Rawlings é penoso, e ele sabe que nenhuma mulher vai se casar com ele sem considerar isso. Com esse pensamento na cabeça ele avista a entrada da casa de seus tios. Mas um grande baque faz com que ele caia do cavalo com algo muito curvilíneo ao seu redor.

Maggie quase não reconheceu o estranho que vinha a cavalo ao longe. Sua surpresa foi tão grande que ela se desequilibrou e caiu encima do rapaz, quase matando a ambos. Para sua surpresa, de fato o jovem com cabelos negros, olhos azuis, ombros largos e surpreendemente mais alto do que ela, era Jerry. Jerry levou um susto enorme com a queda, mas ao se deparar com uma dama de cabelos escuros, olhos amendoados, uns fartos seios, curvas suaves e longas pernas embaixo dele, sua raiva sumiu. Mas a sua surpresa foi maior quando ele viu que a mulher linda que o derrubou, era na verdade Maggie. A menina que em toda sua infância foi responsável por grandes torturas a ele infringido. Sendo assim, ele decidiu de imediato se vingar por tudo que essa linda dama fez enquanto eles eram crianças. 

Maggie sentiu o impacto da sedução de Jerry logo de cara. Ela quis correr, mas ela não é mulher de fugir, e Jerry sabe disso. Ele a convida para ir ao estábulo. Ela fica receosa, mas vai. Afinal de contas, ela ainda pode dá uma surra nele se precisar. Como isso aconteceu? No seu primeiro beijo, surge as chamas da paixão. Ela mal pode acreditar como ele é quente, e ele mal pode acreditar o quão quente ela é, mas o clima dura por pouco tempo. 

Maggie fica consciente da situação por um momento e então dá um soco no rosto de Jerry. Bem do jeito que ele uma vez a ensinou. Assustado, ele não consegue acreditar que ela tenha feito isso com ele, nenhuma mulher já fez isso antes. E é ai que ele percebe. Maggie é a única mulher com quem um dia ele poderá se casar. O problema agora é convencer Maggie. 

Convencida de que ela nunca poderá ser uma boa duquesa e que ele não tem sentimentos verdadeiros por ela, Maggie recusa seu pedido de casamento. Jerry achando que ele não é merecedor do amor de Maggie, ele então decide se juntar ao exército da rainha Vitória e vai para a Índia, em um esforço para tornar-se bom o suficiente para ela. Mas a faz prometer, que se um dia ela mudar de idéia, ela terá que escrever uma carta a ele. E dessa forma ele virá correndo para ela. 

Os caminhos dos dois são novamente separados. Maggie então é enviada a Paris para estudar arte, que é o que ela sempre quiz o tempo todo. Jerry então se torna um herói na Índia, mas não deixa de esperar a carta de Maggie dia após dia.

Cinco anos se passam. Maggie está noiva de um dono de galeria francês quando Jeremy volta da Índia, um herói triunfante presenteado com a estrela de Jaipur. Ele voltou para Maggie, embora ela não saiba disso. E ela não sabe que a estrela de Jaipur seja na verdade uma safira, já que a sociedade e os jornais são levados a acreditar que a estrela é, na verdade, uma bela princesa.

Este é o set-up para o que é um dos romances mais divertidos que eu já li em muito tempo. Os personagens principais, Jerry e Maggie possuem um humor negro magnifico. O diálogo entre os dois é exitante, equilibrado e engraçado. São várias as cenas de sedução e amor, mas de uma forma delicada, que só Cabot consegue dar. Os personagens secundários são usados como uma pitada de sal na trama. Berangere a amiga francesa de Maggie, é descaradamente obscena e é maravilhoso vê sua participação e seus pitacos na vida de Maggie e Jerry. Já o criado de Jerry, um homem com perna de pau que ele trouxe dá Índia, dá um tom refrescante quando as cenas parecem ficar mais carregadas, principalmente com seus comentários e artimanhas junto a Jerry. 

Cabot ainda consegue transformar em humor o fato da família de Maggie a ter deserdado quando ela decidiu virar artista. O humor fica garantido com a troca de diálogo sarcásticos entres os personagens principais e secundários, ainda mais com as tramóias que Jerry faz para seduzir Maggie, chegando ao ponto de drogar a sua empregada com ópio. Eu poderia facilmente ter ficado aborrecida com o período de tempo que leva Maggie a perceber os verdadeiros sentimentos que tem por Jerry, mas a escrita magnifica de Cabot, impede que isso aconteça.

Se você está cansada de romance histórico onde o mocinho é bonzinho e correto e a mocinha é delicada e sem atitude, leia Retratos do Meu Coração. Descubra como o amor se renova nas brincadeiras, desencontros e amizades.

Eu adorei o livro, e espero que logo novas publicações da Patrícia Cabot sejam trazidas aqui para o Brasil.

Espero que tenham gostado! Bjokas a Todos

12 comentários:

  1. UAU, resenha enorme, hein ? rs
    Gostei muito. Eu nunca li essas coisas de titulos reais, sabe ? E me diz, ela é alguma parente daquela do Diario de Princesa ? rs
    Beijos > descobrindolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Estou doida para ler algum livro da Patricia Cabot, devem ser maravilhosos.
    Não li toda a resenha para não saber muito da história :)
    bjs

    Joyce
    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da sua resenha!
    Adoro personagens que tem um ótimo humor.. e pelo que você escreveu, os secundários também fazem papéis importantes e dão momentos engraçados à trama, não é mesmo? Adoro isso!
    Parece ser um livro em que o humor é garantido!
    Parabéns pela resenha!

    Bjs :*

    salaodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oii Roberta,

    Tudo bem? Fiz uma postagem, um selinho, e eu indiquei seu blog pra responder ao selinho, se você puder ir lá visitar e comentar eu ficaria muito feliz...

    Beijos Beijos
    Raquel Santana

    Esse é o link pra acessar o post:
    http://rain-of-word.blogspot.com.br/2012/11/versatile-blogger.html

    ResponderExcluir
  5. Bonjour!
    Amei seu resenha, gostei muito de sua opinião (:
    Acabei de marcar este livro dentre os meus desejados, quero muito lê-lo além dele possuir uma capa muito bonita (na minha opinião), a sinopse do mesmo também é muito boa.

    Kisses :*
    Natalia - ELL
    http://musicaselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. É o primeiro post do dia que eu começo a ler e não tem ninguém reclamando da prova do enem, hehe.

    Nesse sábado passado rolou clube do livro na minha cidade e tinha muita gente falando sobre o outro lado da Meg, a Patrícia Cabot. Eu nunca li nada dela, mas depois de ler essa resenha deu uma vontade. Gosto de humor negro e sim, tô cansado de romances com "mocinho bonzinho e correto e mocinha delicada e sem atitude". Parabéns pela resenha, está muito boa.

    Abraços.
    http://oepitafio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Parece muito bom, eu não gostava dos livros da Meg pois achava infantil, mas talvez goste dos que ela escreve com o pseudonimo.

    http://himi-tsu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá... Adorei sua resenha, Roberta.
    Não conhecia o livro, e pela sua resenha parece muito bom.

    Adorei seu blog, estou seguindo.

    Beijos.
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  9. Sou louca para ler este livro!
    A Meg sabe como prender os leitores...
    Te indiquei ao Meme - Laço de Incentivo à Leitura!

    Veja: http://worldofwords2012.blogspot.com.br/2012/11/meme-1-incentivo -leitura.html
    Beijos,
    Mari Ferreira
    Equipe WoW Books!

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito dos livros de Cabot. Infelizmente só um adulto ("Aprendendo a Seduzir). Agora quero muito ler "Retratos do Meu Coração", principalmente por ser um livro com protagonistas que fogem do padrão e, claro, adoroo um diálogo sarcástico!

    Bjo
    entrereaiseutopias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Regras Básicas

- Não ofender e nem falar palavrões;
- Sem links com conteúdo de baixo calão ou pornográfico;
- Comente algo significativo a respeito da Resenha e por último faça a divulgação de seu blog colocando o link dele.
- Não é necessário pedir que eu retribua a visita ao seu blog, eu já faço isso automaticamente com quem comenta e tem blog.

PS: Aceito críticas e sugestões, porém envie para o email sonhosliterarios@hotmail.com

BOM COMENTÁRIO!!!

Postagens Populares - SL